Entenda tudo sobre o mau hálito e como acabar com ele

Entenda tudo sobre o mau hálito e como acabar com ele

março 11, 2021 Off Por admin

Problemas com mau hálito são extremamente desagradáveis no convívio social, o cheiro pode incomodar tanto as pessoas a ponto delas se afastarem de quem sofre com halitose. Contudo, o desconforto/incômodo social não são os únicos problemas relacionados ao mau hálito.

De acordo com estudos da área da odontologia, uma em cada quatro pessoas sofrem com alteração do hálito. Especialistas afirmam, ainda, que entre 90% e 95% dos casos de halitose são causados por algum problema bucal. 

Isso acontece porque a língua possui várias papilas gustativas que retém resíduos alimentares, células epiteliais descamadas e placas bacterianas que liberam odor. Esta situação é a principal causadora do mau hálito.

No entanto, outros fatores também podem ser causas de mau hálito, como:

  • Sujeira na língua;
  • Cáries;
  • Má alimentação;
  • Cigarro;
  • Situações de internação hospitalar.

Vale lembrar que doenças na boca, como a cárie que foi citada e inflamações podem provocar o mau cheiro. Isso acontece porque essas complicações são causadas por conta de acúmulo de bactérias que produzem odor na cavidade bucal. 

Além de hábitos incorretos de higiene bucal, o acúmulo de bactérias também pode acontecer nos espaços deixados de dentes extraídos, portanto, deve-se colocar um implante dentário nesse tipo de situação para evitar maiores problemas. 

Já quanto à má alimentação, existem algumas curiosidades sobre sua relação e o mau hálito. 

Por exemplo, se há um espaço muito grande entre as refeições, o odor provavelmente aparecerá na boca. Do mesmo modo, alguns alimentos podem causar reações no corpo, favorecendo a acidez e o odor bucal.

Por isso, não deve-se ficar sem comer por mais de cinco horas e é preciso se alimentar corretamente, respeitando a higienização. Inclusive, isso também explica o motivo de se acordar com o mau hálito.

Por que o cheiro é tão desagradável?

Existem mais de 700 tipos diferentes de bactérias dentro da boca, elas contribuem para que aconteça o processo digestivo e evitam a fixação de microorganismos estranhos nocivos que podem trazer algum risco à saúde bucal.

O conjunto de bactérias que vivem na boca se chama flora bucal e possuem essas funções dentro do sistema digestivo do organismo. 

Quando existe um desequilíbrio no acúmulo dessas bactérias, elas se proliferam, formando, assim, a placa bacteriana, que liberam alguns fragmentos que causam odor na cavidade bucal e podem prejudicar a saúde da estrutura.

Por conta disso, é preciso ter hábitos corretos e frequentes quanto à higienização bucal, além da alimentação. 

Para isso, deve-se escovar os dentes corretamente três vezes ao dia, passar o fio dental e bochechar o enxaguante bucal ao final de cada escovação, ou ao menos em uma delas. 

Isso vale, principalmente, para quem utiliza aparelho ortodôntico, pois o procedimento ortodôntico deixa propício a acúmulo de resíduos alimentares nos dentes, formando o tártaro que afeta tanto a arcada dentária quanto as gengivas. 

Problemas com o tártaro, envolvendo bactérias, também podem causar cáries, gengivite e periodontite.

Além disso, é preciso que haja o reforço na higienização bucal noturna e, como dito anteriormente, principalmente para quem utiliza aparelho dentário ou outros tratamentos. 

Isso porque a salivação pode ocorrer de forma inadequada, além disso, por ser um longo período sem movimentação é mais provável que a mucosa fique mais seca, favorecendo a proliferação de bactérias.

Tratamentos

Quase todos os casos de mau hálito são tratáveis, até porque o problema com o odor na boca está mais relacionado a um sintoma de outra doença, como a gengivite.

Além disso, a falta da produção de saliva, por exemplo, que propicia o acúmulo de bactérias e mau odor na boca, terá um tipo distinto de tratamento para estimular a glândula salivar. 

Nos casos de gengivite e periodontite, o tratamento acontecerá a partir de hábitos com higiene bucal personalizadas. No consultório odontológico, o profissional também poderá realizar uma limpeza mais profunda do tártaro nos dentes. 

Dependendo da gravidade de cada caso, mudanças na alimentação também serão indicadas, junto de um nutricionista.

Os alimentos recomendados são os ricos em fibras, como maçã ou cenoura, que contribuem para a produção de saliva e realizam a limpeza natural da boca, removendo as bactérias localizadas na cavidade bucal. 

Caso haja o agravamento de doença nos dentes ou na gengiva, o dentista pode recomendar a realização de algum procedimento cirúrgico para solucionar o problema ou recuperar a cavidade oral.

Um detalhe que vale mencionar é em relação a existência de outros tratamentos.

Por exemplo, quem utiliza aparelho móvel, é preciso que haja ainda mais cuidado com a higienização da estrutura e da cavidade, pois ele é constantemente retirado e colocado.

O contato com o lugar externo à cavidade bucal pode reter algumas bactérias e transferi-las à boca. Por isso, é preciso ter muito cuidado com a preservação e conservação deste aparelho. 

Já ao cuidar da estrutura adequadamente, é possível recorrer a outros procedimentos odontológicos, como os estéticos, para ampliar o cuidado e beleza da cavidade. Exemplo disso é a lente de contato dental, que pode restabelecer o sorriso e sua funcionalidade.

Nesse caso, assim como o aparelho, a higienização diária é crucial para preservar o tratamento e evitar o acúmulo de bactérias na estrutura.

Outro detalhe importante é com os idosos, que já estão predispostos a ter o mau hálito devido a redução do fluxo salivar, devendo investir na hidratação correta no decorrer do dia para reduzir esse risco.

Portanto, a atenção para a higienização bucal nesta fase da vida precisa ser redobrada.

Deste modo, o mau hálito pode ser evitado em todos os períodos e, caso surja, indicará a necessidade de recorrer ao profissional para avaliar possíveis ofensores para a saúde bucal.
Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Clínica Ideal, plataforma especializada em marketing e gestão para consultórios e clínicas odontológicas.