Micoplasmose felina: doença que afeta felinos

Micoplasmose felina: doença que afeta felinos

novembro 12, 2021 0 Por admin

Saiba tudo sobre a micoplasmose felina, doença que pode passar despercebida.

A micoplasmose felina é muito conhecida como “anemia do gato”, causada pela picada de pulgas. Essa doença não é muito comum em gatos, mas quando ela não é tratada o bichinho pode desenvolver problemas graves de saúde. Por isso, é preciso ficar de olho, principalmente, porque ela é uma doença silenciosa.

Uma das formas de evitar a infecção é utilizar antipulgas e carrapatos. Desse modo, é possível garantir a prevenção do seu animal e o bem-estar.

Acompanhe este conteúdo para saber mais sobre a micoplasmose felina e cuidar do seu animal da forma certa!

O que é a Micoplasmose felina?

gato

Essa doença nem sempre se manifesta com sintomas no gato, por isso ela é considerada invisível. De modo geral, trata-se de uma bactéria depositada pela pulga que atinge, normalmente, gatos machos adultos.

Uma das espécies do vírus, conhecida como Ohio (Mycoplasma Haemofelis), é considerada a forma mais grave da infecção. O sintoma mais comum é o de anemia.

Outra espécie, chamada Califórnia (Candidatus Mycoplasma Haemominutum), demonstra menos sinais clínicos no organismo, mas quando associada a leucemia felina pode se tornar grave.

Como ocorre a transmissão dessa doença?

A transmissão da micoplasmose felina tem como vetor a pulga. No entanto, ela também pode ocorrer por meio de transfusão sanguínea, feridas causadas por mordeduras e via transplacentária.

Como a pulga é o vetor mais frequente, ressalta-se a necessidade de atenção e cuidado com seu pet em relação a possíveis infestações de parasitas. Além disso, é importante ter cuidado com mordidas durante brigas de gatos, principalmente entre aqueles que saem de casa com frequência e que não são castrados.

A Micoplasmose felina é contagiosa?

Muitas pessoas se perguntam se essa doença é contagiosa e passa para humanos. A questão é que somente os felinos sofrem com essa infecção. Contudo, ela é contagiosa entre os gatos e pode ser transmitida pela saliva, fezes, transmissão de pulgas e até mesmo pela mãe durante a amamentação e gestação.

Nos abrigos de animais, a micoplasmose felina também pode ser transmitida nos comedouros compartilhados. Apesar disso, os gatos que vivem mais nas ruas têm mais chances de contrair a doença.

Sintomas

Os sintomas mais comuns são:

  • fraqueza;
  • gengiva esbranquiçada;
  • anemia;
  • emagrecimento;
  • apatia;
  • pele amarela;
  • febre.

Muitos pets não apresentam sintomas, enquanto outros ficam seriamente debilitados. Ao observar alguns dos sintomas citados, consulte um veterinário para diagnosticar e tratar a doença da maneira correta. Lembre-se também de sempre frequentar um profissional para acompanhar a saúde do seu bichinho.

Como prevenir a infecção?

A vacinação V5 é um dos principais métodos para prevenir a doença. Isso porque ela é o agente que combate a leucemia felina — o principal fator que torna o seu pet sujeito a infecção.

Você também pode contar com antipulgas e carrapatos para evitar que esses parasitas infectem o seu animal. Além disso, a castração é uma das formas de impedir que ele queira sair nas ruas e se envolver em brigas com outros animais. Também é essencial manter o local que seu gato vive sempre higienizado.

Como tratar essa doença?

O processo para diagnosticar e tratar essa doença começa quando o tutor do animal o leva para um veterinário alegando os sintomas. Nesse momento, o profissional buscará a causa da queixa do pet. Para isso, é preciso fazer alguns exames, como o de sangue.

Apesar disso, o processo de diagnosticar a doença pode ser difícil para o veterinário. Isso porque a doença age de diferentes formas no organismo do gato, complicando o processo de descobrir a causa do problema.

Geralmente, a micoplasmose felina é tratada por meio de um reforço que conta com vitaminas, hidratação e o acompanhamento do bichinho com um profissional. Assim, ele consegue se recuperar adequadamente e ter uma vida saudável.

Em casos graves pode ser indicado o uso de antibióticos ou entre outros medicamentos. Tudo dependerá do quadro em que o felino se encontra, mas de modo geral a doença tem cura. O foco do tratamento é fortalecer o sistema imunológico para que o pet combata a micoplasmose naturalmente e sem demonstrar sintomas.

Agora que você conhece tudo sobre essa condição, não deixe de cuidar do seu animalzinho, frequentar sempre um profissional e prevenir doenças por meio de vacinação, antipulgas e carrapatos, e castração.